pogonofobia

Pogonofobia: você conhece? Descubra a causa do medo de barba

E aí, barbudo, tudo certo? Certamente, assim como nós, você é um verdadeiro admirador da barba e do visual incrível que ela produz, não é mesmo? Entretanto, infelizmente, isso não funciona para todos da mesma forma. Você já ouviu falar de pogonofobia? Pois saiba que essa é uma questão importante e que está diretamente relacionada aos pelos da face.

Acontece que algumas pessoas podem se sentir assustadas ou com medo de outras que possuem barba. E por mais que isso pareça estranho e discriminatório, é um problema real e medicamente diagnosticado.

Por isso, neste post, trazemos algumas informações relevantes sobre o assunto, mostrando como a pogonofobia acontece e de que maneira ela pode influenciar a vida dos barbudos. Acompanhe a leitura e saiba mais!

O que é pogonofobia?pogonofobia

Em termos gerais, a pogonofobia se configura como a fobia de barbas. Ou seja, quem sofre desse problema sente muito medo, apreensão e ansiedade ao avistar ou estar na presença de um barbudo. Pode parecer uma situação um tanto quanto estranha, mas também precisamos entender que essa é uma condição involuntária.

Como toda fobia, ela é irracional e incontrolável. A pessoa que sofre com pogonofobia simplesmente não sabe explicar o motivo, apenas tem a certeza do medo que sente ao ver alguém com barba. Essa condição pode gerar diversos momentos constrangedores, que também são muito ruins para o portador dessa fobia.

Socialmente falando, é complicado para uma pessoa estar na iminência constante de se sentir acuado pelo simples fato de estar perto de alguém com barba. Do mesmo jeito, pode ser uma situação confusa e estranha para um barbudo ver que alguém se sente assustado com a sua aparência.

As causas da pogonofobia

Geralmente, as fobias são causadas por traumas ou associações inadequadas que as pessoas fazem desde criança, criando imagens ruins acerca de determinada questão. Isso pode contribuir para o desenvolvimento de uma aversão extrema e, em última caso, configurar uma doença.

De certo modo, durante muito tempo, a barba foi vista como um sinal de falta de higiene, também sendo associada aos marginalizados e criminosos. Esse péssimo estereótipo, cultivado em algumas sociedades, especialmente em épocas antigas, pode ser um dos gatilhos para a fobia.

Um outro exemplo comum de causa pode ser um trauma. Por exemplo, se uma pessoa sofreu algum tipo de agressão ou de abuso constante de alguém que tinha barba, certamente a imagem dessa pessoa jamais será esquecida, e, de uma forma irracional, haverá na mente de quem sofreu esse trauma a associação de barba a pessoas ruins.

Estereótipo e discriminação

Também é possível citar a discriminação e a estereotipização como gatilhos para o desenvolvimento da pogonofobia. Um acontecimento que marcou a humanidade foi o atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos. Esse fato foi decisivo e marcante para causar uma injusta generalização em relação aos muçulmanos, que, por cultura, costumam cultivar barbas.

A influência desse tipo de estereótipo pode ser muito forte e perigosa, já que a imagem do homem barbado passou a ser associada ao terrorismo. Muita gente acaba fazendo piada com isso, mas outras pessoas levam tão a sério que desenvolvem essa repulsa e esse medo irracionais, originando a fobia.

O tratamento para o problemapogonofobia

Assim como qualquer outro problema de ordem psicológica, é importante buscar ajuda profissional especializada. Só um médico pode designar o tratamento mais adequado de acordo com o nível da fobia do paciente.

Basicamente, os tratamentos costumam se dar por meio de medicamentos que reduzem a ansiedade, o que é muito eficiente para as situações em que as pessoas que sofrem de pogonofobia encontram barbudos por aí.

Em paralelo a essa medicação, também deve ser recomendado o tratamento terapêutico. Como se trata de um trauma, essa é a melhor forma de lidar com o comportamento, trabalhando e desenvolvendo uma maneira de, aos poucos, se livrar dessa condição.

Além disso, também é relevante que essas pessoas busquem um estudo social acerca do uso das barbas. O conhecimento desmistifica imagens estereotipadas e auxilia na compreensão de que a barba é algo normal ao corpo do homem, sem pressupor agressividade ou falta de higiene.

Como a pogonofobia afeta os barbudos?

Brothers, antes de tudo, precisamos entender esse problema de uma ótica de esforço, ou seja, fora da nossa autoimagem, em que compreendemos que a barba é algo somente positivo. É preciso ter sensibilidade e entender que a pogonofobia é uma doença, e que, se a pessoa reage mal ao ver um barbudo, pode ser de forma irracional.

Infelizmente, a sociedade julgou a barba por muito tempo, o que, de certa forma, inibiu os homens a cultivar os pelos do seu rosto. Isso fez com que tivéssemos que conviver com aparências comuns e constantemente nos submeter à prática de raspar — que, além de chata, é um tanto quanto dolorosa e prejudicial à pele.

Não há motivos para abandonar a barbapogonofobia

Certamente, antes de aderir à barba, você já teve que, contra sua vontade, raspar o rosto várias vezes, não é mesmo? Até mesmo os caras que não gostam de usar barba sabem o quanto é desagradável e incômodo ter que repetir isso semanalmente, ou dentro de uma certa frequência.

Entretanto, apesar de vermos muitas coisas retrocederem, pelo menos na imagem que a sociedade tem da barba, podemos ver evolução! A boa notícia é que ela passou a ser mais aceita e deixou de estar associada a imagens e ideias ruins. Isso já pode ser considerado um grande passo para que cada vez mais homens adotem esse estilo que faz tão bem à estética e à saúde da pele.

Atualmente, uma barba bem cuidada pode ser bastante bem vista, sendo um atrativo a mais aos homens, na medida em que transmitem uma ideia de caras que se cuidam, além, claro, de ficarem muito mais estilosos e com um visual incomparável, não é mesmo? Uma barba bem tratada não causará estranhamento!

O mais importante de tudo isso é que a pogonofobia não deve ser um motivo pelo qual os homens abandonem a barba, afinal, ser barbudo não é ruim para ninguém. É significativo lembrar que a doença é um quadro excepcional, além de raro, e isso não deve inibir quem quer deixar os pelos crescerem.

Então, agora você já sabe mais sobre esse assunto e entendeu que a barba não deve ser vista como algo negativo. Aproveite e confira 7 motivos que vão inspirar você a aderir ao estilo de vida barbudo!

Newsletter