protetor solar para barbudos

Entenda a importância do protetor solar facial

O uso do protetor solar facial é de extrema importância para a saúde. O assunto é tão atemporal que já foi até tema de poesia e é uma das principais recomendações dos dermatologistas atualmente.

O uso diário do protetor traz diversos benefícios para a saúde e previne uma série de problemas ocasionados pelos raios UV. Por ser uma área na qual a pele é mais sensível, o rosto merece cuidados especiais e conta até com produtos específicos somente para essa parte do corpo.

É muito provável que você já saiba que o protetor solar “faz bem” para a pele, mas, para entender melhor, listamos abaixo os principais motivos pelos quais você deve usá-lo no dia a dia.

Proteção da pele

Uma pele exposta continuamente ao sol adquire manchas com o passar do tempo. Muitas vezes, entendemos como exposição ao sol o hábito de ficar deitado, se bronzeando, mas na verdade essa exposição acontece a cada vez que saímos à rua.

E não adianta dizer que acha as sardas um charme, pois elas são um sinal de que a pele já está sofrendo danos. Isso sem contar que, além das manchas, também chegam as rugas.

Todos nós vamos envelhecer e tê-las um dia, mas não usar protetor solar pode fazer com que elas apareçam muito antes do esperado. Funciona mais ou menos assim: o envelhecimento natural da pele acontece para todos. Quem toma muito sol sem proteção, além do processo natural, ainda “ganha um plus” nas rugas devido a destruição que ele causa às células de colágeno.

Além disso, queimaduras solares podem ser bem dolorosas, então, por que passar por esses desconfortos se podemos evitá-los?

Mas não é só isso: os raios solares estão relacionados a algo muito mais grave. Eles estão ligados à incidência de câncer de pele. O protetor solar forma uma espécie de barreira que não permite que eles penetrem diretamente na pele.

Existe um protetor especial para vocêprotetor solar para barbudos

É fato que todas as pessoas, sem exceção, devem usar protetor solar. Engana-se quem pensa que se trata de um cuidado destinado apenas aos “branquinhos de plantão”.

Entretanto, existe um protetor solar específico para cada tipo de pele. Os fatores de proteção necessários variam de acordo com a tonalidade da pele. E comprar aquele que é indicado para o seu tipo garante uma proteção eficaz.

Os dermatologistas costumam classificar a pele em seis tipos, de acordo com o tom. É por isso que é importante consultar um desses profissionais na hora de escolher o protetor solar adequado. A classificação funciona da seguinte forma:

  • Pele tipo 1 e 2: São as muito brancas e as brancas. Normalmente, esse tipo de pele não bronzeia. Tomar sol para essas pessoas acaba virando sinônimo de ficar “vermelho feito um camarão” e ainda sofrer com o ardor das queimaduras. Normalmente, recomenda-se protetores solares com fator 60. Eles bloqueiam mais de 98% dos raios solares, o ideal para peles tão sensíveis.
  • Pele tipo 3 e 4: São as ligeiramente morenas e as morenas. Quem tem esse tipo de pele já consegue ficar bronzeado, mas o excesso de sol pode acabar provocando certa vermelhidão e incômodo. Como já contam com uma parcela de proteção natural, essas pessoas podem usar protetor solar fator 30, que bloqueia 96% dos raios.
  • Pele tipo 5 e 6: São as muito morenas e as negras. Esse tipo de pele dificilmente sofre queimaduras e tem grande facilidade de se bronzear. Por essa razão, são pessoas que podem usar protetor solar fator 15, que bloqueia apenas 87% dos raios solares. O resto fica por conta da melanina, que já se apresenta naturalmente nesse tipo de pele.

O dermatologista também poderá fornecer dicas sobre o melhor produto para peles oleosas ou secas demais.

O protetor solar facial é um “amigo inseparável”

Se você pensa que o uso do protetor solar é indicado somente em dias ensolarados, está na hora de rever seus conceitos. No inverno, mesmo quando passamos dias sem ver o sol, os raios solares continuam em ação.

O sol emite dois tipos de raios: UVA e UVB. Os raios UVB normalmente são mais emitidos no verão e no período das 10 às 17 horas. Já os raios UVA continuam a incidir, ainda que seja inverno ou que tenha passado desse horário. A diferença é que não os sentimos.

Isso fez com que eles fossem considerados inofensivos por um longo período. Entretanto, expor-se a eles indica correr todos os riscos que citamos acima e ainda estar sujeito a contrair o câncer melanoma, uma modalidade agressiva da doença, que atinge tecidos mais profundos da pele e está diretamente ligada a esses tipos de raios.

É por isso que o ideal é usá-lo diariamente, faça chuva ou faça sol. Com o passar do tempo, você vai colher os frutos dessa importante escolha.

Nem a sua barba fica de fora

A essa hora você deve estar se perguntando se é preciso ou não passar protetor solar na barba. Bem, a resposta é a seguinte: se a sua barba ainda é baixinha, precisa passar sim.

Quando os fios já estão maiores, formam uma espécie de sombra no rosto, protegendo a pele dos raios solares. Nesse caso, não é necessário passar. Mas e os fios da barba? Como protege-los da ação do sol? Principalmente quando combinado com cloro ou sal, essa ação pode tornar os fios secos, opacos e quebradiços.

A tendência também é que a pele fique mais oleosa no verão. Isso aumenta a incidência de espinhas, visto que a sua barba forma uma espécie de barreira para a eliminação da oleosidade.

O ideal é lavá-la diversas vezes durante o dia e usar produtos específicos para barba, a fim de mantê-la hidratada. Alguns possuem propriedades de proteção aos raios solares e, se você costuma se expor com frequência, além do protetor no rosto, também deve recorrer a esses produtos.

Gostou das nossas dicas sobre a importância do uso de protetor solar facial em qualquer época do ano? Compartilhe este post em suas redes sociais. Por incrível que pareça, tem muita gente que ainda não se atenta os riscos de se expor ao sol sem proteção.

 

Newsletter